Uma das críticas mais comuns sobre as adaptações dos contos de fadas produzidas por Walt Disney é a tentativa de deixar os contos mais palatáveis ou açucarados, contrastando com os detalhes, muitas vezes mais macabros ou grotescos nos contos originais. Deixando de lado a estranha preocupação com um conto original de obras da tradição oral…

Enquanto o sono não vem e os dragões dos contos de fadas

Em um mundo feito de citações apócrifas de Clarice Lispector e Voltaire, não chega ser uma surpresa encontrar casualmente citações de alguns autores que são bem menos famosos, como é G.K.Chesterton. Chamá-lo de grande autor pode parecer uma ironia pobre (considerando que seus duelos verbais com pessoas como George Bernard Shaw e H.G.Wells ficaram famosos,…

Cinderela

Um conto tradicional não tem autores nem uma forma final e definitiva. É o uso de uma determinada sociedade, em um determinado momento, que contribuiu para a escolha de quais elementos serão considerados “canônicos”. Estes mesmos elementos podem ser descartados. Mas alguns fatores estão presentes nas diferentes versões e no esqueleto da história de tal…

A bruxa vem aí

Anteriormente, falamos do medo quando citamos o conto da Chapeuzinho Vermelho, mas a verdade é que a capacidade de causar medo (ou nos fazer acreditar no medo) é algo muito comum nos contos de fadas. Afinal, como G.K.Chesterton sugere, os contos de fadas não foram feitos para acreditarmos em dragões, mas sim para acreditarmos que…

Chapeuzinho Vermelho

Quando falamos em contos da tradição popular, imaginamos que esses contos, por terem autoria desconhecida, não tenham sido submetidos à mesma revisão rigorosa que sofrem os textos de atores modernos. Verdade, pois esses contos sofreram ainda mais revisões, pois ao invés de um autor, têm vários. É por isso que é possível que um conto…